09 abril 2009

Abraço

Quando vejo ela, presença vulgar no meu tempo
Falando com voz macia perto do meu pescoço
Tomando meu olhar para si, em gestos livres
Me jogando na duvida de do meu ser ou o seu

Sinto apenas que a duvida continua em seu atos
Por também não saber quem somos, ou vamos ser
Me invade um bem estar, por continuar assim
Sem querer saber, apenas com a cabeça no meu peito.

Jota Reis
Poemas "a modinha",

6 comentários:

Asvezes é melhor permanecer na duvida, pois, talvez, a resposta assuste ou não seja a esperada.

P.S:Te linkei!

Bjos e ótima pascoa.

Oi,vim avisar que eu mudei meu endereço do blog POETA MARCOS LEITE
Espero que continue visitando, e que se você estiver-me likado,troque o endereço,viu?
Por favor!

O novo é http://marcosleitte.blogspot.com

o titulo que vc deu e o outro título, me pareceu uma pequena mensagem"abraçe a mordinha"

se quiser comente.
http://mundostreze.blogspot.com/

Querido amigo avassalador...
Bons blogs merecem reconhecimento.Temos um selo para voce!

Perto do peito sempre é um bom refúgio

Porque querer saber...se esta bom assim....melhor viver os bons momentos, mesmo efêmeros mas intensos...
Lindo poeminha a modinha Jotinha!!
Bjin

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More